30 de jan de 2014

sem título

mais uma prateleira
do guarda - roupa se desfez

não suportou o peso
das minhas vontades
todas separadas conforme
a cor
o tamanho
ou nível de desastre

bom era o tempo
em que a dor cabia
em um só bolso da calça.

Um comentário:

  1. Lindo poema. Confesso-te que me doeu bastante. Creio que prateleiras podem ser consertadas a qualquer momento.

    ResponderExcluir