30 de jan de 2014

sem título


depois da chuva
o que fica é este
verso à fórceps


e uma aspereza apropriada
para a boa convivência
entre poetas


riso alto para não perder
o equilíbrio


há ausências na varanda.

Nenhum comentário:

Postar um comentário